Promoção!

Portugal Cristianíssimo

15.15 13.60

Prazo de entrega aproximado: 5 dias.

REF: Z00002 Categorias: ,
Partilhar:

Descrição

Autor: Rainer Daehnhardt

Editor: Zéfiro

ISBN: 9789728958015

Idioma: Português

Dimensões: 15 x 24,2 x 0,8 cm

Encadernação: capa mole

Páginas: 134

Sinopse:

Obra em duas partes: primeira, entrevista a Rainer Daehnhardt por S. Franclim, seguida de “A Missão Templária nos Descobrimentos”, tese polémica, mas hoje plenamente aceite, revista e aumentada pelo autor, traz novas revelações que levam segredos do passado a oferecer esperança para o futuro do caminho português.

«Enquanto se ensina que Portugal, a mais antiga nação europeia, surgiu pela reconquista cristã, levada a efeito por D. Afonso Henriques, omite-se uma outra luta titânica que teve então lugar. Porém, foi dessa luta que nasceu Portugal.

O Conde D. Henrique, pai de D. Afonso Henriques, era borgonhês e vassalo do Rei de Leão. Na Idade Média, quem era filho de vassalo, vassalo era. Assim, Portugal nasceu através da quebra de vassalagem. Um caso gravíssimo! Quem é que poderia evitar que D. Afonso Henriques fosse sentenciado à morte pelo Rei de Leão e banido de qualquer ajuda cristã? Apenas o Papa. E assim foi. D. Afonso Henriques conquistou Portugal aos mouros, não o entregando ao Rei de Leão nem ficando com ele. Optou por o oferecer ao Papa com o pedido de o reconhecer como seu representante e novo vassalo. Tudo isto é algo pouco divulgado. O que porém sempre foi segredo é o conhecimento de que D. Afonso Henriques não se dirigiu ao Papa, mas ao Contrapapa.

O Papa de então, Anacleto II (1130-38), era um judeu convertido, filho do maior banqueiro transalpino, a quem grande parte da fidalguia cristã devia dinheiro. O Contrapapa, Inocêncio II, refugiado em França, era cristão-velho, mas era apenas apoiado por dois homens, São Bernardo de Claraval e o Imperador da Alemanha. D. Afonso Henriques juntou-se aos dois e ficou no lado certo, pois no final foi Inocêncio II que ficou no trono do Papado.

Foi Portugal que colocou o seu peso na balança para a criação de um “caminho cristianíssimo”. Foi neste caminho que Portugal se destacou, cumprindo duas das suas razões de existência. Fernando Pessoa diria que faltava cumprir a terceira, séculos depois de os templários já terem cumprido os Descobrimentos Portugueses.

Agora do passado chegam-nos as indicações acerca do nosso caminho futuro.

Em tempos de aflição até o véu do secretismo se rasga no Templo da Verdade.»

Rainer Daehnhardt

Informação adicional

Peso .236 kg

Avaliações

Não existem opiniões ainda.

Apenas clientes com sessão iniciada que compraram este produto podem deixar opinião.